quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Só para que se saiba

Postado por Nany às 10/31/2012 02:22:00 da tarde 5 comentários Links para esta postagem
Não gosto do dia das bruxas. Não gosto de bruxas. Detesto teias de aranha. Só gosto de algumas histórias de vampiros e é no cinema. Não acho piada a encher os miúdos de açúcar. As abóboras davam umas belíssimas sopas, ou doce de abóbora se quiserem açúcar. Sou portuguesa, não americana e não vejo outros países a adoptar tradições nossas, por isso não me venham com a de que sou uma velha do Restelo e que o mundo é uma aldeia. Não quero saber. Só comemoro o Carnaval porque o miúdo gosta, eu pessoalmente não lhe acho piadinha nenhuma. E já agora, nos tempos que correm não tenho dinheiro para parvoíces, ok?

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Banda sonora destes dias

Postado por Nany às 10/29/2012 09:43:00 da manhã 4 comentários Links para esta postagem
A Xana Toc Toc.
Enquanto me mantenho em semi descanso oiço a minha miúda a cantar as músicas da Xana enquanto brinca com a minha muleta.
O mano já não acha muita piada às musicas e confesso que eu também já estou a ficar farta. Vou-o deixando ver tv no meu quarto. Sei que não devia, mas facilita-me a vida e neste momento tudo o que a facilite é bem vindo.
O mais giro é ouvi-lo dizer coitada da minha mãezinha que não pode andar.

Obrigado pelos vossos comentários acerca das festas. A da Sarita estão em curso os preparativos e os convites. Muitas coisas têm sido alteradas e depois mostro.
Bjks

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Festas de anos

Postado por Nany às 10/25/2012 10:41:00 da manhã 5 comentários Links para esta postagem
A miuda mais gira do planeta e arredores está quase quase a fazer dois anos. (mais gira e mais teimosa também, mas não lhe digam que eu vos disse).
Quando comparo os preparativos da festa dos 2 anos dela com os 2 anos dele, vejo que muita coisa mudou. Claro que mudou, não são só os quase 4 anos que os separam, mas a conjuntura económica que vivemos.
Fico um pouco triste com os preparativos, com o ter de reduzir, o não poder fazer. Mas ao mesmo tempo, penso em tantas famílias, onde festas de anos são uma utopia, onde o que importa é sobreviver o dia-a-dia, e nós felizmente ainda podemos fazer uma festa. Pequena é certo, famíla e amigos chegados, mas podemos.
É óbvio que é tudo feito em casa menos o bolo de anos, o único encomendado, que passe a publicidade vai ser feita a encomenda ao Continente já que até agora estamos contentes com o serviço. Mas quando me vejo a cortar no resto, a ver onde posso poupar, também penso naquilo que é mais importante: a minha filha não se vai importar se teve uma festa que custou milhares de euros, aliás com dois anos ela nem sabe o que são euros, o que eu quero que ela sinta é o amor, o carinho e a importância enorme que ela tem na nossa vida.
É em momentos de crise que damos valor áquilo que é mais importante, já ouvi dizer. Não sei, talvez, não concordo totalmente. Acho que em momentos de crise as pessoas começam é a abrir os olhinhos e a pensar que as festas são para os miúdos e não para ostentações.
Por mim falo quando digo que os pais querem o melhor para os filhos, mas será o melhor as grandes festas? Será o melhor termos as crianças cansadas com tantas e tantas actividades e distrações? Ou será o melhor sermos poucos e rodeá-los de amor e fazê-los sentir que são verdadeiramente especiais e importantes para nós? Que são O impulso que dá vida ao nosso coração?
Talvez a crise sirva para isso também. Por cá teremos uma festa caseirinha. Com gelatinas, mousse, salgados, sumos, água, cerveja para adultos, batatas fritas, pipocas, o rei da mesa que é o bolo de aniversário e principalmente quero, desejo e estou a fazer por isso, mesmo que me tire horas de sono, que a aniversariante se sinta uma verdadeira Princesa no seu dia especial, em que comemora uns belos dois aninhos.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Graças a Deus pela sopinha

Postado por Nany às 10/23/2012 01:20:00 da tarde 3 comentários Links para esta postagem
Sem gás, 2 miudos pequenos para alimentar. Valha-me a santa sopa já feita.
Estamos sem gás no prédio por causa de situações várias, por 24 a 72h, entre elas a conduta principal com várias fugas.
Sopas feitas tenho, microondas e ficam prontas a comer. Como a minha mãe mora a 5m é levar o saco, fazer a comida, dar banho e tomar banho e voltar a casa.
Se os dias já corriam, agora vão ser mais apertadinhos.
Bjks

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

A nossa Festa das Sopas

Postado por Nany às 10/22/2012 01:30:00 da tarde 0 comentários Links para esta postagem
Em Outubro temos festa na freguesia, e entre uns e outros programas, temos a Festa das Sopas.
Ora, a dita festa acontece num fim-de-semana, normalmente Domingo ao almoço, mas no dia em questão além de me esquecer, chovia e a minha querida enxaqueca dizia-me que queria ir à festa. Não fomos, aliás, só me lembrei depois do almoço.
Este fim-de-semana fiz a festa lá em casa. 3 sopinhas diferentes e deliciosas feitas pela avó. O Pedrocas queria 11, mas lá lhe expliquei que eram demasiadas e depois tinhamos de deitar fora. Ele queria canja e canja fizemos, cortou as cenouras e as courgetes e comeu quatro pratos da dita (1 de cada para experimentar + repetição da sua adorada canjinha).
O pai fez uma bela gelatina, eu fiz uma tarte de iogurte (a aperfeiçoar) e assim decorreu a nossa festa.
O miúdo ficou tão contente que agora quer outra no próximo fim-de-semana.
Pensando bem, faço sopas diferentes, congelo e já tenho o assunto arrumado para a semana toda, se calhar até nem era mal pensado fazer a "Festa das Sopas" ao Domingo ao jantar.
Fica a dica, se os vossos miudos embirrarem com a sopa, experimentem fazer uma festa disso, com mesa posta a rigor, pode ser que eles alinhem no espírito da coisa.

sábado, 20 de outubro de 2012

Pelo menos conseguimos concordar na "espécie"

Postado por Nany às 10/20/2012 03:30:00 da tarde 1 comentários Links para esta postagem
Net
E ao ver um destes, diz a minha filhota linda COMBOIO.
Eu - Autocarro
Ela - Comboio
Eu - Autocarro
Ela - Comboio
Eu - Camioneta
Ela - Carro
Ok, conseguimos combinar na espécie. Acho piada é que ela só conhece os comboios de ver em fotografias e na tv, mas deve ser por causa do tamanho.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Da visita de ontem

Postado por Nany às 10/19/2012 10:04:00 da manhã 0 comentários Links para esta postagem
Gostou, veio de lá com uma bandeirinha em feltro e a saber onde fica o vermelho, o verde e o amarelo.
Gostou do Sr. que explicava as coisas. Gostou das brincadeiras dele, mas achou que ele era um bocadinho mentiroso porque estava a trocar as cores todas da bandeira.
Disse que os meninos da outra sala fizeram os trabalhos deles e que aquilo era uma trapalhada. Assim eles não fizeram nada e ninguém se entendia.
Viu os Presidentes da Repúglica, umas estátuas pequeninas das senhoras que fazem os presidentes, mas este que é de agora, não estava lá, só estava lá o buraco para onde o Casaco Silva vai depois de deixar de ser Presidente.
O relato dele é delicioso. Passar de reis a presidentes é ainda estranho, mas vamos com calma.
Agora Repúglica já passou a ser República, mas Casaco ainda não é Cavaco. LOL

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Visita de estudo

Postado por Nany às 10/18/2012 10:03:00 da manhã 3 comentários Links para esta postagem
Não sendo a primeira do ano, é a primeira que este ano o Pedrocas participa, já que a anterior coincidiu com a sua operação.
Hoje vão ao Museu da Presidência da República, e embora tenha tentando explicar-lhe um pouco o que é, vai ser engraçado falar com ele sobre reis, rainhas e presidentes. Mas falar enquanto pessoas, governantes, aqueles que decidem o nosso futuro, que ditam as leis que nos regem e não enquanto personagens de contos de fadas.
Espero que ele goste do passeio. Logo saberei.
Está a crescer o meu menino e as suas/nossas conversas não são tanto e só sobre carrinhos e bonecos e é tão bom.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Mãe, não consigo fazer a lombinha

Postado por Nany às 10/15/2012 02:33:00 da tarde 2 comentários Links para esta postagem
E qual lombinha?

A do -A-. É que se é para começar, comecemos pela primeira letra do alfabeto.
O miúdo já desde o ano passado que tem vindo a fazer letras e números. Algumas reconhece, outras dá-lhe a preguicite.
Este ano, começou a professora em mim veio ao de cima e todos os fins-de-semana temos sessão de letras. Tivemos sessão de -A-, e ó porque tinha logo de ser na letra da mãe que ele empanca na lombinha?
Vamos com calma que não quero por o carro à frente dos bois, e para já comprei um livro barato no Continente em que cada dupla página é dedicada a uma letra, forma maiúscula/minúscula em que ele tem de seguir as setas e passar com os lápis em cima dos pontinhos, as letras pontilhadas. Vou fazendo com calda, uma vez por semana as que ele acha mais difíceis e insistir nessas, vendo o porquê de não conseguir fazer "lombinhas". De resto, vou vento/perguntando o que se passa na creche.
Para o próximo ano lectivo, a professora (que devia ter decidido o magistério primário e assim até poderia estar a exercer funções), vem ao de cima e aí, aí logo planeamos as coisas consoante o plano da escola para onde ele for, para andarmos a par e passo. Em conjunto é bem mais fácil, não?
Mas, ainda não estou em mim, porque é que tinha de ser na letra da mãe, porque é que não podia ser na do pai? É que a dele tem duas "lombinhas"!

sábado, 13 de outubro de 2012

13=♥

Postado por Nany às 10/13/2012 09:00:00 da manhã 2 comentários Links para esta postagem

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Ora agora choras tu, ora agora choro eu

Postado por Nany às 10/11/2012 12:47:00 da tarde 4 comentários Links para esta postagem
Chora ele.
Chora ela.
Não me perguntem porquê. É por causa da sopa. Dos bonecos. Da Xana Toc Toc. Das meias. Do banho. Do sono. Da birra. De serem contrariados. De não serem.
Não sei.
Sei, ou melhor, tenho a certezinha, que qualquer dia, esta sinfonia diária vai dar comigo em maluquinha.
Ele chora porque o amigo bateu. Porque ficou de castigo e a culpa era do xpto. Porque está farto de ver a Xana. Porque quer uma PSP e ainda só tem 5 anos. Porque não consegue fazer a curva de cima do -a-, porque, porque, porque.
Ela chora porque quer ver a Xana em modo 24h/dia. Porque quer tomar banho, não quer tomar banho, não quer as meias ou aquelas meias, porque não quer sair do banho, porque não pode mexer nos comandos da tv, do dvd, nos telemóveis e outras coisas afins. Porque não pode passar o tempo todo a acender e apagar as luzes. Porque não pode trepar para cima da mesa da sala e mandar-se cá para baixo.
D. Birra e Sr. Choro, agora que veio a chuva, o verão foi embora, podem ir hibernar para uma caverna e deixarem-nos em paz? Agradeciamos encarecidamente.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

O meu filho é maior que o teu! Olha, olha bem esta curva de percentil!

Postado por Nany às 10/10/2012 12:14:00 da tarde 4 comentários Links para esta postagem
Novas curvas de crescimento

A "tabela dos percentis" que está em todos os boletins de saúde individuais vai mudar (...) Os bebés nascidos em 2013 em Portugal vão receber uma nova versão dos boletins individuais de saúde. Entre outras alterações, o caderno azul ou cor-de-rosa será diferente nas páginas reservadas para as "tabelas de percentis" que servem de referência para monitorizar o desenvolvimento de bebés, crianças e adolescentes portugueses.
A substituição das atuais curvas de crescimento pelos padrões defendidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) está prevista no Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil. Na prática, esta mudança vai fazer com que os valores expressos nestas tabelas de percentis traduzam um crescimento mais próximo do "ideal" e vai ainda permitir detectar com mais rigor algumas situações problemáticas, como os casos de obesidade.
(...)
Atualmente, para monitorizar o estado de nutrição e crescimento das crianças e adolescentes, guiamo-nos pelos valores de referência propostos pelo Center for Disease Control and Prevention (CDC) e baseados num estudo que envolveu apenas crianças norte-americanas.

Além de estar limitado à análise da população de um país, este registo de padrões apoiou-se maioritariamente numa amostra de bebés alimentados com fórmulas lácteas. Desta forma, as curvas não refletem de forma correta o que pode acontecer quando estamos perante o cenário (recomendado) de um bebé alimentado exclusivamente com leite materno
Texto retirado da edição on line da revista Pais e Filhos
Não sabia que utilizávamos as tabelas do CDC, ams acho bem que seja utilizado um maior rigor na detecção de qualquer situação. Agora, penso sempre no caso extremo, no estigma que ainda se tem porque não se amamenta, ou porque se amamenta até demasiado tarde.
Porque a criança é grande / pequena. Gorda/magra. Alta/baixa. Etc e tal.
Espero, desejo e porque não aconselho {eu que não sou profissional de saúde, mas que sei ministrar ben-u-ons em supositório e em xarope, limpar narizes ranhosos, ver a febre com a palma da mão, com os lábios e abrir as monodoses de soro com uma mão e com a outra pôr no nariz da criança}, que os verdadeiros profissionais de saude infantil, que fazem disso profissão, que tem brio naquilo que fazem, que estudaram para tal, não se esqueçam de explicar às famílias que: a criança do vizinho não tem as mesmas características genéticas da dele, e que a prevenção é sempre a melhor opção.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Sarita cantora

Postado por Nany às 10/09/2012 11:37:00 da manhã 3 comentários Links para esta postagem
É a Xana cócóti, vai à póta vê quem é, [É a Xana Toc Toc, vai à porta ver quem é]
É a Xana cócóti, vai à póta vê quem é,

A correr, xalálá, lá , xálálá, lálálá [A correr xálálá]   Ó Manéli, olhá a bola, na calxada, rebolha, a bolha, a bolha, Manéli, na calxada, xalálá [Olha a bola Manel, na calçada ela rebola]

 Ao deitar, ao acordar, enquanto trata dos seus bebés. É uma multi facetada a minha Princesa.
 

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Educar era mais fácil se os filhos viessem com livro de instruções

Postado por Nany às 10/08/2012 12:45:00 da tarde 4 comentários Links para esta postagem
Ás vezes educar dói mais a nós que a eles.
Sempre disse e repito, que independentemente do que façam, se me mentirem para esconder é bem pior o castigo pela mentira, do que por aquilo que fizeram. Claro que algumas coisas que têm um castigo maior que outras, mas para mim a mentira não constrói relações. Destrói.
É óbvio quer os meus filhos não me irão contar sempre tudo. Por isso é que fomento uma boa relação entre eles. Por isso é que me preocupo que tenham bons Amigos, daqueles com A bem maíusculo. Eu sou a mãe, aquela que dá a educação, que está lá para o que der e vier, mas que não substituí um amigo, um irmão, um pai.
Cada macaco no seu galho.
Sobre aquela questão das lutas e do este bateu-me, aquele fez-me isto ou aquilo, tive uma conversa a sério com o Pedrocas.
E o amigo bate-lhe quando não brinca com ele, quando não faz o que ele quer. Percebi que quando é contrariado, a resposta óbvia é bater para levar a sua avante. Não me vou por para aqui com aí coitadinho do meu filho que leva do amiguinho, até porque já tratei da situação, mas chateei-me com o facto de ele dizer que não, já não chorava, e que só batia às vezes, mas depois já era sempre.
A mentira. O raio da filha da mãe da mentira.
O compor da siutação para não ser chamado de queixinhas. De menino da mamã, que vai para casa chorar e fazer queixinhas. Que tem de ser um homenzinho.
Tivemos uma conversa os dois. Ele contou-me a verdade, mas quando falei com a educadora ficou com vergonha/medo de ser confrontado e de ser chamado de bebé e queixinhas, e então compôs a situação.
Respirei fundo não sei quantas vezes e expliquei-lhe que, mesmo que nos chamem de queixinhas e de bebé, quando não se consegue resolver a situação avisando várias vezes que o amigo bate, tem de se falar com a mãe e o pai. Aliás, quando os amigos na escola batem, além de se faler com os professores tem sempre de se dizer à mãe e ao pai. E temos de contar a verdade, seja ela qual for. Mesmo que nos digam que somos queixinhas e bebézinhos. Que vamos para a sala dos pequeninos.
Aqui resolvi uma questão. A minha com a dele. Mas ficou outra. Uma maior, de adultos, a resolver entre adultos.
Pois bem, as crianças supostamente confiam em nós para resolver as questões e nós chamamo-as de bebés, queixinhas, chorões? Bateu-te, ai deixa de ser piegas. Chamou-te de bebé, de menino da mamã, de isto ou daquilo? Faz-te homemzinho senão ficam todos de castigo.
Esta questão vai ser resolvida numa conversa de adultos. A 2. A sério.
Acho que tudo seria mais fácil se todos tivessemos livros de instruções.

sábado, 6 de outubro de 2012

Entre manos

Postado por Nany às 10/06/2012 10:00:00 da tarde 2 comentários Links para esta postagem
“A melhor maneira de educar um filho é ter dois.” Marcelene Cox.
As coisas têm dias.
Dias que se  amam de paixão.
Dias que não de podem ver à frente.
Dias em que ela chora porque ele não fica na sala dela ou vice versa.
Dias em que se abraçam. Dias em que se batem.
Dias em que se ralham.
Dias em que dão as mãos, ou simplesmente se sentam juntinhos, quietos na companhia um do outro.
Não percebo nada deste tipo de amor, mas gosto muito de ver o deles e quero cultivá-lo e ajudar a que, mesmo nos dias de chuva consigam ver um pouco de sol.
Adoro-os aos dois, com a mesma intensidade de maneira diferente. Gosto de os ver interagir, aprender e ensinar.
Não são só eles a aprender, eu também aprendo, e muito.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Que título dar a isto?

Postado por Nany às 10/04/2012 10:30:00 da tarde 3 comentários Links para esta postagem
Mãe burrinha?
Mãe crédula?
Mãe que acredita em tudo, faz o que o filho pede e depois é o que se vê?
Mãe que se preocupa demais?
O Miguel bateu-me?

Pois bem, todas as noites temos festa. O Pedrocas queixa-se que o amigo Miguel lhe bate, que não o deixa brincar com os outros meninos, que bate aos outros meninso, que fica de castigo por causa dele.
Se fosse de hoje eu não me preocupava, mas não é de hoje, é que nem as férias curaram a coisa, já vem do ano passado. Nesta meia dúzia de dias que frequentou a creche pós férias e pós operação a conversa é toda a mesma.
Que fez a mãe aqui? Conversou com a educadora.
Resposta do filho. Ah, o Miguel bateu-lhe sim, mas só ontem quando ele tinha 4 anos, agora tem 5 (ui, o que ele percebe de tempo). Ah e ontem tiveram de castigo, porque o Miguel bateu ao Afonso, porque o Afonso lhe disse para não brincar com ele, mas depois ficaram de castigo e fizeram as pazes. Ah e já não chora de noite, só chora de noite quando tem 4 anos (atentem no tempo verbal), e ele agora tem 5 anos, e ele só chora quando tem 4. [eu explico, ele quando chora tem 4 anos, quando não chora tem 5 anos, fácil não?]
E depois diz-me que eu, não devia ter falado com a Anabela (educadora) e ter-lhe dito que o Miguel batia. WHAT?
Então e o facto de ele me pedir antes de dormir durante vários dias, até quando esteve em casa? De acordar a falar nisso? De pedir e dizer um milhão de vezes a mesma coisa a caminho da escola? De ver a educadora e de me fazer sinal como quem diz vá, fala com ela? Afinal era para esquecer.
Acho que encontrei o título para isto: A maternidade baralhou-me os miolos / Não percebo nada disto

Ainda sobre os móveis

Postado por Nany às 10/04/2012 11:26:00 da manhã 1 comentários Links para esta postagem
Não fui ver lojas, nem montras. Aliás, até tenho medo com as novas medidas de austeridade, mas enfim.
Andei a cuscar on line, a ver as brochuras (se fosse pelas brochuras não ia às lojas, diga-se de passagem). Mas, como a internet tem coisas boas, fui ver ideias de decoração, imagens de quartos, etc.
Não quero nada às cores, gavetas às cores, bonecos às cores e coisas que tais. Prefiro jogar com uma colcha engraçada (tenho uma do Ikea), ou outros apontamentos. Quero móveis simples, sóbrios que não passem "de moda", que acompanhem o crescimento e que sejam funcionais. Simples não?
Ora bem, se eu juntar ideias de uns e outros, e se amealhar tostões, e mandar fazer é plágio? Sim, não, talvez?
Vá, chamem-me esquisita, é que não vi nada que me enchesse as medidas. Vocês também são assim, ou sou só eu, a esquisita?

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Já a pensar no futuro

Postado por Nany às 10/02/2012 10:22:00 da manhã 2 comentários Links para esta postagem
O quarto do Pedrocas está semi mobilado, digo semi porque, ele tem uma cómoda que já viu melhores dias e a parte de cima de uma escrevaninha que aprovietámos para estante de brinquedos. O resto está tudo bom e novo, quer dizer, ainda quero (queremos) trocar o roupeiro, mas fica para mais tarde.
Preciso de encontrar com tempo, uma solução pra ter um canto de estudo e um local de arrumação de brinquedos, livros e jogos.
Lojas, indiquem-me por favor, lojas, sites. Ajudem esta mãe que já está a desesperar.
Sim, eu sofro por antecipação. Ah, a mobília dele é castanha e tudo o que vejo mais giro é branco, é que nem em mel encontro nada......

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

23 meses

Postado por Nany às 10/01/2012 09:00:00 da manhã 3 comentários Links para esta postagem
Não, digamme que não. A minha bebé pequenina ainda não tem 23 meses, tem só 2 ou 3. Juro que o tempo passou depressa demais, ela está a crescer depressa demais.
A Princesinha, que já escolhe o que calça, o que quer vestir, que diz que não quer, não gosta, amua e faz birra. Digam-me faz, favor, que só acontece mais tarde, que é tudo fruto da minha imaginação.
Linda e vaidosa como só ela. Nem sempre quer totós, ganchinhos tem dias, mas até não desgostou da bandelete que lhe comprei e essa sim, usa de bom agrado.
Os papatos (sapatos) são os que a mademoiselle que calçar, porque se não quer atira com eles ao chão. Fina a moça.
Se lhe queremos vestir algo que não lhe agrada, diz logo não quéio (não quero). Ainda ontem, lhe vesti um corta vento que pertenceu ao irmão e ela me perguntou pelo outo (outro) [o outro casaco que tinha vestido durante a semana], disse-lhe que estava arrumado e que vestia aquele para ir à rua comigo, resposta da Princesa: ah, pó xê (ah, pode ser). Fina a moça.
Continua a ser apaixonada pela Minnie. Vaidosa, doce e delicada. Mas se lhe chega a mostarda ao nariz salta estalada para a direita e para a esquerda a torto e a direito. Chora sempre que é contrariada e grita para que se saiba que está desgostosa com a situação.
Adora o irmão, faz tudo o que ele faz, um autêntico macaquinho de imitação. Se ele não está fica desasada e anda tristinha, mas beijinhos nada. Põe o rapaz a chorar e nada. Só mesmo quando lhe apetece.
Come sozinha já à bastante tempo e agora quer beber tudo o que bebemos. É difícil enganá-la, já começa a perceber que a nossa água não é bem igual à dela. Senta-se logo à mesa à espera da sua dose. Continua doida por gelados e a nova tara de fruta são bananas. Quando de manhã me vê beber o meu café pede logo o seu :)
Fala tudo, repete tudo, se bem que na sua grande maioria, fale em saroquês o que dificulte o entendimento. Se não conhece as pessoas vira a cara e não dá qualquer tipo de abertura. Não vale a pena, não conhece, não dá confiança e não vale a pena insistir, aliás, demasiada insistência leva a que de uma próxima vez ela chore o ver essa pessoa.
É maluquinha pela Xana Toc Toc e já põe todos cá em casa doidos com as músicas da dita.
Mas é a nossa menina de oiro. A Carochinha do mano, como ela a chama, a minha linda Carochinha, a nossa Princesa que amamos do fundo do coração, com bom feitio ou com birras de nariz arrebitado.
Adoramos-te Princesinha.
 

O Meu Cantinho Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Emocutez