segunda-feira, 30 de abril de 2012

Pensava que ia demorar mais tempo

Postado por Nany às 4/30/2012 10:54:00 da manhã 2 comentários Links para esta postagem
Net
Mas não. A miúda é uma miúda precoce e sai à mãezinha dela, vai daí já começou a experimentar os meus sapatos, chinelos, ténis. Os meus e os do pai, do irmão, de quem seja.
É ver um sapato á mão de semear e toca a sentar a calçar. O mano, que é um querido, dá uma ajuda e ela fica toda feliz.
Ainda hoje me dizia a educadora que ela é daquelas que vai dar que fazer. A mim parece-me que daqui a pouco vamos ter o não visto isto, não quero aquilo e afins.
Vai levar com um escolhes isto ou isto dentro do que há e dentro das possibilidades.
Mas é uma fofura, ver aquele pézinho de cinderela, gorducho, fofinho, que ela me dá sempre para beijar a cada muda de fraldas (e que pelo aspecto vai sair á mãezinha e ter pézinho 38/39 ou 39/40 consonte o sapato), enfiados nuns sapatos quase do tamanho dela.
Linda linda a minha princesa. Linda mesmo.
Ah e roupa? è dizer que o vestido, saia, pijama o que seja é dela, que fica toda contente aos gritinhos e foge com a dita peça. E o mais giro, é eu atrás dela para lha tirar e ela a fazer birra, deve ser por isso que por vezes tenho de lavar a roupa 2ª vez :)
Princesa, é o que é.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

O primeiro musical

Postado por Nany às 4/27/2012 09:55:00 da manhã 5 comentários Links para esta postagem
A esta hora já está o Pedrocas e os seus amiguinhos em pulgas para subirem à camionete que os vai levar ao Musical Casa do Gomas. Ele quase que saltou da cama, já se queria ir embora enquanto a mana comia e depois o pai levava-a à creche :)
Logo pergunto como correu e se gostou. A resposta deve ser não me lembro e um encolher de ombros como de costume.
Eu, mãezinha galinha, só me preocupo que ele esteja bem, que o sr da camionete (que entretanto parou para beber um café, e por isso ele não precisava de se preocupar ;) ) vá com cuidadinho e atenção. E principalmente que ele se divirta muito.
É bom ser criança, não acham?


Ah e se forem amigos do Gomas no Facebook (https://www.facebook.com/musicaldogomas) podem ganhar bilhetes.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Ciúme

Postado por Nany às 4/26/2012 10:48:00 da manhã 8 comentários Links para esta postagem
Era inevitável, mas cada vez está maior.
Ela chora e bate-lhe, arranha-o a doer.
Ele chora e deita-se no sofá triste. Triste porque ela bateu e triste porque ela arranhou.
Ambos querem colo.
Ambos choram como se o mundo fosse acabar.
Eu sento cada um de um lado, mas sinto que tenho urgentemente de arranjar outra solução. Sou beijos aos dois, mimos aos dois, brinco com os dois. O raio do tempo é que não estica e quando dou por mim é sempre tudo a correr: para comer, tomar banho, dormir, acordar, vestir, despachar.
Tento minimizar, digo que a mãe é dos dois. Faço coisas com um e com outro, sozinhos, aos mesmo tempo. Mas é difícil, ela é muito pequena e precisa de muitas ajudas, ele é mais crescido e precisa de ajudas embora esta a trabalhar a independência de uma criança de 5 anos.
Está complicado, e choros logo de manhã, quando o tempo escasseia para dar-lhes tempo de entender, acalmar e aproveitar o mimo, é mau, muito mau.
Formas de lidar com ciúmes de manos, alguém tem dicas?

terça-feira, 24 de abril de 2012

Mãe: a super-mulher capaz de autênticos milagres

Postado por Nany às 4/24/2012 04:09:00 da tarde 5 comentários Links para esta postagem
Vi a imagem aqui http://mumstheboss.blogspot.pt/
Que a maternidade não é igual para todos, isso todas sabemos. Que cada um a viva à sua maneira não é mistério para ninguém.
Sinceramente não considero que exista a mãe perfeita ou o filho perfeito (apesar de achar que os meus o são). Irrita-me, solenemente, que a sociedade exiga tal papel às mulheres, que também têm de ser exímias cozinheiras, excelentes donas de casas e profissionais de se lhes tirar o chapéu. Principalmente quando a sociedade em questão são familiares que já passaram pelas mesmas situações, mas que agora dão palpites como se para eles nunca tivesses existido problemas, dias complicados, dúvidas. Ou que digam que eles sim, coitados, sofreram a bom sofrer e que nós, as felizardas do momento, nem sabemos a sorte que temos, que a vida nos é tão facilitada e que somos umas complicadinhas.
Pessoalmente, acho piada que me digam que tenho tudo organizado/desorganizado consoante a pessoa que dá o palpite. Pessoas que: ou já se esqueceram, ou não têm noção, ou gostam de fazer os outros de parvos, ou gostam de bater no ceguinho. A sério, ou pensam que os outros são parvos, ou que nos fazemo ninho atrás da orelha, ou ainda (e pior) vivem de comparações em que os outros estão sempre pior. Mas, apesar do caos ou da organização, do cansaço, do pensar em quando posso voltar á minha caminha, ou sentar-me no sofá, cada vez que oiço Mamaeeee e tenho uma macaquita agarrada a mim tipo lapa (imaginem os macaquitos bebés agarrados às mães e assim está minha filhota agarrada a mim); ou que tenho um Mammyyyyyyyyyyy a dar-me abraços e beijos nem me lembro de tais pessoas.
A imagem ilustra bem, e em cada uma tenho uma pessoa certa a colocar na legenda, não exactamente a que lá está, em legendas minhas temos, da esquerda para a direita:
Imagem 1 - Aquilo que eu penso que faço
Imagem 2 - Aquilo que eu não me importava nada de fazer a tempo inteiro (ai que nunca mais ganho o euromilhões)
Imagem 3 - Aquilo que o marido, a mãe, a sogra e afins pensam que faço
Imagem 4 - O ar que faço quando se põem com palpites e comparações
Imagem 5 - Euzinha, mas sem ser ao computador, é mais em versão dona de casa
Imagem 6 - Aquilo que o marido, a mãe, a sogra e afins  pensam que faço (confesso, não me importava nada de fazer uma sesta).
Importam-se de não rotularem as mães e de deixarem de pensar que somos super-mulheres capazes de autênticos milagres? (eu incluída, que sofre do síndrome de ouvir em demasia e de sofrer em demasia com os palpites)
Importam-se de deixar de andar com comparações parvas daquilo que era à trinta ou quarenta anos atrás?
Importam-se de ter noção da realidade?
Importam-se de ajudar naquilo em que realmente precisamos de ajuda e não apenas naquilo que vos dá mais jeito e quando dá mais jeito?
Importam-se? É que se importam abstenham-se de comentários.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Dores de crescimento

Postado por Nany às 4/23/2012 11:42:00 da manhã 5 comentários Links para esta postagem
Já não é a primeira vez que o Pedrocas se queixa de dores nas pernas, e chegou até a dizer que lhe doía a mão.
São dores esporádicas, chatas, especialmente quando está mais cansado.
Faço massagens, cheguei a dar uma dose de ben-u-ron fraquinha apenas porque se queixava mais. Dou muito mimo e tento manter a zona mais aconchegada e quentinha.
Queixa-se sobretudo das pernas "nesta linha assim à frente, a outra atrás e a parte fofinha", que é como quem diz, as canelas e as coxas.
Eu tive estas dores, lembro-me de serem chatinhas e incomodativas.
Muitas massagens, muito mimo e sempre que toma banho tenho o cuidado de não só passar o creme do corpo, como também aproveitar o tempo para fazer mais massagens e mimar o meu filhote.
Os vossos também se queixam? Segundo este artigo, são absolutamente normais, só que ultimamente têm aparecido mais vezes.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Princesinha dos caracóis

Postado por Nany às 4/20/2012 11:03:00 da manhã 5 comentários Links para esta postagem
Princesa com caracóis ao largo, antes do banho,
e sem ganchos, a refilar que quer entrar na água
Uma das coisas que mais me irrita é dizerem-me que a minha filha tem o cabelo muito grande, que precisa de ganchos, que tenho de fazer totós e mais, que tenho de lhe cortar os caracóis para lhos tirar e pentear melhor o cabelo e também para ficar com o cabelo mais forte.
Ok, vamos por partes: a Princesa tem 17 meses e nunca cortou o cabelo. Ai que a menina tem o cabelo tão grande, parece mesmo uma ...... menina. O meu neto (sujeito do sexo masculino) cortou o cabelo com menos idade para parecer um ......menino. Ah, percebi querem que corte o cabelo à miuda porque o neto menino cortou e para ela parecer um...menino?
As meninas têm ganchos? Sim, algumas. Aquelas que deixam por, aquelas que gostam. A minha por exemplo não põe fitas, e chapéus e gorros só daqueles que se prendem por debaixo do queixo, senão voam todos. Tem ganchos e eu sou uma mãe pirosa que gosta de a ver de ganchos, fica mesmo gira, ou melhor mais bonita do que já é.
A menina tem cabelo grande. A sério? Onde? Ah no penacho, que de tão encaracolado só se nota quando molhado e penteado, e mesmo assim encaracola todo. E tmbém quando ela arranca o que quer que seja que tenha na cabeça e fica com ele no ar, olha o exemplo na foto.
E porque tenho de lhe cortar os caracóis? Para os tirar? Mas sabem, eu gosto de caracóis, eu tenho, o pai tem, o mano tem, é assim a modos que uma coisa de família.
O cabelo fica mais forte? Será? Eu corto o cabelo há tantos anos, já usei tão curto como qualquer rapaz e olha, apesar de ser muito sempre foi fino e nunca ficou mais forte.
A sério. Metam-se nos vossos cabeleireiros a discutir seja o que for, e em relação aos caracóis da minha miuda aceitam-se ganchos giros, chapeús e elogios, boa?

quarta-feira, 18 de abril de 2012

E para rematar a história do cotovelo partido, de vez

Postado por Nany às 4/18/2012 10:05:00 da manhã 5 comentários Links para esta postagem
O meu pimpolho portou-se lindamente. Nada de choros, nada de birras, só o ar enfadado de quem está farto de médicos, de salas de espera, de anda para aqui, de papel para ali.
Ontem, na consulta pós operatória tudo ok. A recuperação faz-se aos poucos e até ao Verão só falta esticar o braço tal como o outro, ele estica, está como os nossos, mas as crianças esticam um pouco mais.
Pode correr, saltar, fazer ginástica, passear, andar, ser uma criança normal, só NÃO pode partir mais nada.
Espero e desejo que desta história tenha como recordação o gesso que está lá em casa ao qual ele acha o máximo.


AH, já me estava a esquecer, eo ar de importante de D. piolho a mostrar os furinhos que tem no cotovelo, aos amiguinhos na creche? Era só para isso que ele ontem os queria tanto visitar, mas era de uma importância que só visto.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Menino Pedrinho

Postado por Nany às 4/16/2012 01:14:00 da tarde 2 comentários Links para esta postagem
Ora o menino Pedrinho, mais conhecido por Pedrocas, fofinho da mãe, gordo do pai, reguila, bebé e mana (sim, nada de mano) tem tido uma vida social e familiar que, faz com que nos surpreenda com os seus (já) 5 anos.
Na sexta tivemos consulta de otorrino e audiograma. Tudo normal na audição, pequenas oscilações no ouvido direito devido ao furinho e nada mais. Operação por agendar, pois aguardamos que o S. Pedro nos traga tempos mais quentes.
Sábado, festa de anos, na qual a mãe teve de ficar sobe pena de: ele ir só lá entregar a prenda, trazer mais dois meninos e uma mãe que connosco foram e que não podiam por isso usufruir da festa. Anda muito apegado a mim, e se não fico nos sítios onde ele fica, chora, não quer ficar e até mesmo na creche começo a notar uma certa dificuldade na separação além de me pedir sempre que o vá buscar à hora do lanche. Mesmo assim, gosta muito de ir ver os seus amigos.
Em relação aos trabalhinhos em casa, pôr a mesa ele gosta, se bem que fique quase tudo torto mas faz com gosto, escova os dentes sozinho embora a última escovagem gosto que seja minha porque ele faz festas aos dentes, acha piada a ajudar e incentivo-o, até porque em casa nem tudo são jogos e brincadeiras e a empregada-mãe não se divide em várias (com muita pena minha).
Este fim-de-semana dobrou as meias e as cuecas, as camisolas interiores fica para quando poder mexer melhor o braço. Claro que alguma dobrei de novo, mas na sua maioria estavam bem.
Claro que ele anda animado com a perspectiva de ganhar uns tostões mas já lhe expliquei que os tostões, que ele tanto quer para poupar para a PSP, ganha sim, mas se fizer algo de diferente. Ou seja, fazer a cama dele, escovar os dentes, pentear-se e afins são coisas normais para uma criança de 5 anos, que vai aprendendo e também para quem mora lá em casa, já que a empregada-mãe, faz as coisas com amor mas não é escrava. Não foi assim que lhe disse, mas ele percebeu mais ou menos a diferença entre aquilo que tem de fazer e é da sua responsabilidade e aquilo que é mais além.
Para o mais além já temos o facto de ele escovar os dentes à mana, mesmo sem pasta e sem água.
A ver vamos.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

E por os miudos a trabalhar?

Postado por Nany às 4/13/2012 10:51:00 da manhã 6 comentários Links para esta postagem
Na creche eles comem tudo, fazem tudo, ajudam e não refilam. Em casa é aquilo que se sabe, estão cansados, não querem, não fazem, não podem.
Confesso que me é mais fácil e prático fazer as coisas: faço mais depressa, ficam como quero, não tenho de voltar atrás a ver se está feito, não tenho de emendar, etc, etc.
Como o Pedrocas partiu o cotovelo, muitas das coisas que íamos implementado ficaram em stand-by e outras esquecidas, mas decidi que vamos começar a tabalhar nelas. Ele percebe o conceito trabalho - dinheiro, porque cada vez que me pede algo digo-lhe que tenho de trabalhar X ou Y dias para ter dinheiro para tal, podendo mesmo ser meses ou anos (no caso da PSP). Assim, vou tentando ensinar-lhe a paciência da espera pelas coisas, o valor delas já que temos de trabalhar, e o tempo em si.
Claro que no caso da PSP já deixei claro que uma criança de 5 anos não tem uma, independentemente do valor da mesma, ou da possibilidade dos pais a poderem comprar, por achar cedo. Com  esta idade têm imensos jogos e outras actividades a fazer que não ficar agarrados horas a uma caixinha.
Bem, tendo isso em vista, comecei a pesquisar sobre o assunto, e encontrei o blog Money Saving Mom que tem umas ideias simples, que me aprecem fáceis de por em prática. De manhã as coisas são todas a correr, mas começando pelos fins-de-semana e por ter eu mais paciência, parece-me que posso vir a tirar ideias daqui para por o Pedrocas a trabalhar. Já tinha falado disto com ele e ele ficou animado com a perspectiva de ganhar uns tostões para poupar para a dita PSP. Oram vejam o que ela diz para 4 anos, mas que pode ser para 5 ou mais, ou menos, dependendo da criança e da sua autonomia. Vou só colocar algumas que já faziamos mais ou menos e outras que pretendo implementar. Lavar a casa-de-banho cheira-me a muita água no chão e pouca lavagem, tal como lavar o chão e mesmo aspirar.
15 Chore Ideas for 4-Year-Olds
Children at this age are probably able to dress themselves, brush their teeth, and comb their hair. If they aren’t doing these things on their own, I’d encourage you to start by teaching them those chores
1. Pick Up Their Room — Make sure you show your child exactly what a clean room looks like. And if their room is really messy, I’d suggest working with them to clean it and giving them one specific project to work on at a time. Young children are often still learning the concept of staying on task, so you want to make sure you don’t overwhelm them by giving them too large of a task to accomplish then they are ready to tackle.  As vezes que eu lhe digo para arrumar as coisas dele, por o casaco no sítio quando chega a casa, e fazer a cama? Ai fazer a cama é um drama, custa muito, mas ajudar-me a fazer a minha é bem mais divertido, especialmente quando se enfia dentro dos lençõis para eu fazer a cama com ele lá dentro.
4. Fold Washcloths, Hand Towels, Underwear, & Other Small Items – I often will sort these out from the big laundry pile and make a small pile for each child to fold, based upon their folding abilities. Ele gosta, fica tudo maluco, mas ele gosta
5. Sort & Fold Socks — Sorting and folding socks can be a fun job for little people. And you can teach matching, colors, and counting with it, too. Meias e cuecas, dele, minhas, do pai, da mana. Assim tenho-o comigo, vamos conversando e ele sente-se útil, mesmo que depois caia tudo no chão ou eu trnha de dobrar tudo outra vez.
7. Dust/Wipe Down Surfaces — 4-year-olds are great at cleaning baseboards, small floor areas, wiping down cupboards, or dusting surfaces. If you have a feather duster, they might have fun trying that out, too! É o máximo, dar-lhe o produto de limpar móveis é o máximo, limpa tudo: móveis, espelhos, chão, portas, paredes. Mas por pouco tempo que aquilo cansa, mas o pronto (que uso marca branca) gasta-se que é uma beleza.
10. Wipe Down Door Handles — Give your child a cleaning wipe or a damp rag and have them wipe down all the door handles. This is a favorite chore at our house! Desta é que não me lembrei e ela também fala de limpar os interrupetores da luz. Excelente ideia.
11. Clear the Table – Teach your children to clear their plates after each meal (our children are still working on doing this without needing to be reminded!) Pois, é para o lado que lhe dá.
13. Simple Meal Prep — Kaitlynn has learned how to pour cereal/milk, make toast and peanut butter & jelly sandwiches, and pop popcorn on her own. She also often helps me when I’m cooking. Ele adora fazer bolos e que o deixe cozinhar, mas confesso que faço a comida sozinha e sem grande ajuda. Posso é começar a fazer coisas pequenas como arroz, já que pão, bolos, e gelatina faz na boa. Ah e puré também.
14. Set the Table — Teach your children how to set the table correctly from the time they are young–it’s a skill many adults still don’t know! Ainda ontem isto aconteceu e recebeu a quantia de 3 cêntimos para o porquinho da poupança.
E vocês, o que acham? Vá ideias. Vamos por os miudos a trabalhar? No bom sentido claro.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Já não sei o que fazer para lhes dar de comer

Postado por Nany às 4/12/2012 11:51:00 da manhã 8 comentários Links para esta postagem
A sério!
O Pedrocas come tudo na creche, até arroz de grelos e em casa o arroz ou é branco, ou de cenoura mas triturada ou então ele não come. Porquê? porque tem cebola, porque isto, porque aquilo.
Massa, depende, mas vai comendo embora ache muito dura e eu apesar de a cozinhar al dente já nem sei o que mais lhe fazer, porque ele diz que ela está dura mesmo quando está ensopada.
Batatas nem vê-las, fritas come mas eu não faço, puré tem dias.
Carne é porque é dura, ou porque tem isto ou aquilo. Peixe tem espinhas, tem pele, sabe mal, já nem o salmão se vai safando.
Sopa é conforme, como sou eu que lhe dou normalmente à boca por causa do braço, a coisa vai andando, mas comer bem mesmo só canja. Em casa ou está passada ou não está passada.
Fruta vai comendo, mas ou quer laranjas quando não as tenho, ou bananas quando não tenho. É sempre aquilo que não tenho.
Leite só na papa de manhã e iogurtes de coco é aos pares
A Sarita anda pior que ele. Batatas de maneira nenhuma. Arroz branco ou com poucas coisas a tricar, massa deita fora quase de imediato.
Carne é sempre aos pedaços pequenos e molinha, mas nem dura nem mole, é cuspida.
Peixe nem sempre e ainda estou para atinar com a espécie que ela gosta.
Sopa é do piorio. Cospe-a assim que entra na boca, chora, berra, engasga-se, puxa o vómito. Na creche come toda e ontem consegui dar-lhe canja nem sei como.
Fruta só cozida, e até os morangos que adora já deita fora. Fruta crua pois, só na creche.
Bebe o leite de manhã e os iogurtes come logo dois ao lanche, se bem que às vezes é uma festa a tentar dar-lhe e ela a querer fugir.
Juro, estou sem ideias. Já começo a ter medo da hora das refeições que acaba sempre em choro de um quando não dos dois. Recuso-me a alimentá-los apenas a iogurtes, bolachas e pão.
Ideias precisam-se.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Festas & Convites

Postado por Nany às 4/11/2012 04:05:00 da tarde 5 comentários Links para esta postagem
Por causa deste post da Maggie e também por causa das festas de aniversário que se avizinham (uma no sábado e outra no próximo domingo), permitam-me discordar.
Eu não acho normal que se convidem os miudos todos, como também não acho normal deixar só um ou dois de fora.
No aniversário do Pedrocas, eu perguntei-lhe várias vezes e ao longo de algum tempo, quais os amiguinhos que queria convidar e a resposta foi sempre a mesma. De todos os que ele queria, só um não compareceu nem disse nada.
Entenda-se o seguinte: a festa é dele e para ele, logo, com o nosso aval convida quem quer. Não convido miudo A ou B só porque me dou bem com os pais e depois essa criança até bate ou morde na minha, tal como não convido todos só porque sim. Opto por mandar um bolo para a escola e ele convidar quem quer.
Certo é que depois disso já foi a uma festa de anos de uma criança que não convidou e irá a outra na mesma situação. O meu filho chama para a brincadeira quem ele acha que deve.
Aquela do temos de convidar todos comigo não pega. Além disso o meu filho também não se dá com todos. Claro que gosto que o convidem, e claro que tenho todo o prazer em que ele vá. Nas próximas festas já combinei com uma mãe levar o filho dela, porque não sendo ali mesmo ao lado, e não tendo a Srª carro parecia-me muito mal essa criança não ir porque não tinha como, tendo sido convidada.
Não falo apenas da questão monetária, porque se queremos fazer festas aos nossos filhos, também sabemos que elas não saiem baratas, falo também do trabalho, e do ter espaço para todos, e porque para mim, convidar crianças pequenas e não abrir as portas de casa a seus pais não pega. Eu já deixei o meu em casa de amiguinhos dele e já me aconteceu duas situações: ele brincar até mais não, ao ponto de lá jantar e não querer ir para casa; e irem-me chamar a casa porque ele chorava tanto que não quis lá ficar. Ora, se os pais também têm direito a ficar, são mais pessoas a contabilizar na festa certo?
E não, não faço festas em sítios XPTO, e tenho de ter a animação tal para serem um sucesso faladas em toda a vizinhança, faço as festas dentro das minhas posses. Ele não teve um bolo assim e assado porque os bolos decorativos são mais caros no preço de kilo e não estava de acordo com o orçamento. Mas divertiu-se na mesma, aliás divertiram-se na mesma.
Agora, convidar quase todos e deixar só um ou dois, ou três também não. Se não se pode convidar não se convida, mas também não se deixam de fora 2/3 crianças.
Mas esta é a minha opinião, que muito tem a ver com a forma como cresci, sem grandes festas em casa de amigos (acho que nem se falava muito nisso) e as festas lá em casa eram para a família.
Ah, por falar em família, também não convido pessoas com quem não falo, ou que só me falam quando o rei faz anos, tal como nos casamentos, ou porque alguns mesmbors da família acham que sim senão fica mal e tal. A família e amigos mais chegados, que se preocupam com eles, que querem saber deles, com quem nos damos é presença certa e querida. A outra, é a outra.
E pronto, acho que com este post acabaram-se os convites é que este blog é lido por pais de filhos da sala do meu filho. Isso, ou tenho apedrejamento público. A ver vamos.
Seja como for, D. Maggie a culpa é sua porque foi a Srª que me fez escrever o post. Quaisquer pagamentos hospitalares são seus, mas com factura para IRS prometo LOL

Os meus filhos são poliglotas

Postado por Nany às 4/11/2012 10:02:00 da manhã 1 comentários Links para esta postagem
A sério.
Ele chama-me mammy
Ela chama-me mamae
E a cara das pessoas quando eles o fazem, especialmente as mais idosas na fila do supermercado? Devem pensar que são filhos de pais diferentes ou coisa que o valha :)

terça-feira, 10 de abril de 2012

Ovinhos, Gatos e Família

Postado por Nany às 4/10/2012 10:59:00 da manhã 4 comentários Links para esta postagem
Sabem a quantidade de ovinhos da Páscoa que recebemos lá em casa?
Um ovo gigante do Benfica que o Pedrocas adorou. Uns coelhitos, uma galinha e respectivos pintos e uma quantidade de ovinhos da galinha que me faz pensar que a pobre coitada se fartou de trabalhar.
A Sarita não come chocolates, ela gosta mas eu não lhe dou.
O Pedrocas come, mas só um por dia e até acabar a caixa dos ovinhos kinder que lhe ofereceram e que tem o tal do brinquedo que ele adora.
O resto pensam que é para mim? Pois bem é o pai que os come. Em relação aos ovinhos, e para a dona galinha não ficar muito chateada, é um saquinho de cada vez.
Amêndoas, nem muitas. Eu gosto ou de amêndoas a sério, nada daquilo com chocolate lá dentro (mas acho que cada vez trazem mais açucar e menos amêndoa), ou das torradas que também cada vez é mais açucar. Fora isso as amêndoas de chocolate que são bolinhas de chocolate, são deliciosas, tenho lá um pacote, no armário da cozinha em cima e ando a fugir delas; é que se abro o pacote vão todas de enfiada. Também tivemos direito a uns Mon Chéri que detesto por causa do licor, e ofereci-os à minha mãe que adora.
A Páscoa foi pela primeira vez passada fora de casa, fomos a casa do meu cunhado e passamos um bom bocado. No regresso parámos no outlet do Barreiro que não conhecia e ainda comprámos umas sandálias ao Pedrocas e demos de comer ao miudo que estava a morrer de fome. Ele morre sempre de fome cada vez que passamos por um restaurante ou café, mesmo que tenha acabado de comer. O meu filho adora comer no restaurante.
Tudo em família com a minha mãe, cunhado, sogro e avó do meu marido. A minha cunhada ainda não regressou do Afeganistão, mas está para breve.
Ah, em casa do meu cunhado existem peixes, pássaros e 4 gatos, sendo que três são persas, e lindos lindos de morrer. São sociáveis e muito mansos (os persas, o outro gato é mais arredio e esconde-se de estranhos). Os meus filhos deliraram com os animais, já que em casa não temos. Adoro gatos é uma realidade, mas o pelo dos persas é uma coisa do outro mundo. Macio, mas tanto que se agarra a tudo.
O Pedrocas delirou com os gatos perto dele enquanto jogava playstation. A Sarita gritava tanto de alegria ao ver os gatinhos que os pobres devem ter ficado com dor de ouvidos. E o ar de felicidade quando perdeu o medo e lhe fez uma festa? A miuda gritava e pulava de alegria. Mas aquela gata não é uma gata qualquer, até a patinha dá a pedir mais festas.
Tenho para mim que quando forem ver a Ritinha a Tia São ou esconde as gatas ou está tramada. Agora cães é uma conversa diferente. O Pedrocas gosta, a Sarita chora até com o mini-amostra de cão da minha vizinha. A ver vamos.
Bem, já me alonguei. Fui. Beijos.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Uma doce e feliz Páscoa

Postado por Nany às 4/06/2012 09:10:00 da manhã 2 comentários Links para esta postagem
São os nossos votos para todos vocês.
Eu e os meus docinhos vamos fazer por isso.
Beijos

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Isto da Páscoa fez-me pensar

Postado por Nany às 4/05/2012 11:43:00 da manhã 4 comentários Links para esta postagem
A creche dos meus filhos, uma IPSS de cariz religioso, tem no seu livrinho de normas de funcionamento e etc os dias que fecha. Um desses dias é a quinta-feira santa, ou seja, hoje.
Ora bem, o meu trabalho não fecha por ser quinta-feira santa, tal como o de muitos outros pais, e então o que fazemos com os pimpolhos?
-Vão para o trabalho dos pais? Nem todos os patrões deixam, nem todos os sítios são adequados.
-Ficam com tios, avós, vizinhos, etc? É preciso que essas pessoas estejam disponíveis e sejam de confiança.
-Arranja-se uma ama. Pois, por um dia, uma ama. Sim, já me tinham dito.
-Já sei, tiramos um diazito de férias e fazemos um fim-de-semana de 4 dias. Parece boa ideia.
Então qual o problema?
O problema é a que a creche também fecha noutros dias que eu e o pai trabalhamos, não podemos andar sempre a tirar dias, até porque as férias não são ilimitadas e quantas vezes não tiramos um dia porque a criança tem febre e não temos com quem a deixar e para a creche não pode ir.
O problema é que no tal livrinho ( o estatuto) as ciranças têm de ter obrigatoriamente 22 úteis de férias com os pais. Ora se eu tiro nos dias em que eles fecham e eu trabalho, nos dias em que as crianças isto ou aquilo, nos dias em que a minha vida se mete ao barulho e me condiciona a isso, onde ficam os 22 dias? Ficam reduzidos a menos. E então o pai? O pai também passa pelo mesmo, com a condicionante que se estiver a meio, ou pior, a finalizar um projecto quais férias quais quê, até se faz noitadas e se trabalha ao fim-de-semana.
Ah, mas a tua mãe está desempregada. Sim, pois está. Mas também está a tirar uns cursos, e hoje fez-me o favor de ficar com eles, mas.......além de ela não ser minha criada, nem imaginam o que tenho de ouvir antes, durante e depois.
Sei que todos têm direito ao descanso e não é isso que está em questão. Só acho é que deviam equacionar a obrigatoriedade tendo em atenção estes dias que vamos roubando às férias por esta ou aquela razão, principalmente aqueles que se prendem com a creche. Os outros são por nossa conta.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Gesso retirado. Finalmente!

Postado por Nany às 4/04/2012 01:49:00 da tarde 6 comentários Links para esta postagem
E ontem lá rumámos ao hospital para a dita cirurgia de remoção do gesso. Pensávamos ser uma coisa simples, rápida, mas não.
Jejum desde as 8h00 da manhã, a mana na creche e rumar ao hospital, serviço Ortopedia A. Esperar, esperar, esperar para sermos chamados. Toca a seguir o sr até à Cirurgia Ambulatória às 12h. Dar entrada, fazer uma entrevista com a enfermeira e aguardar que a ortopedia só opera depois das 15h.
Ás 14h fomos chamados para trocar de roupa, e esperar na salinha já perto do recobro. Assim foi, esperámos, esperámos, desesperámos. Eu e o meu bom feitiozinho começámos achar estranho tanta espera, e a cada um que perguntava a resposta era sempre a mesma: é já a seguir, as crianças são primeiro e patati patatá.
Cheguei ao ponto de me darem 5 respostas diferentes ao mesmo tempo: está quase, estão a atender um caso muito urgente, quem lá está demora muito por ser um caso complicado, estão a acabar a cirurgia numa srª internada, quem está lá agora é um paciente que sofre de demência. Pedi para falar com o responsável que nunca apareceu. Cheguei ao ponto de deixar a porta de acesso aos blocos operatórios aberta (só para verem o quão perto estávamos).
Ás 19h (sim leram bem), vem o anastesista com a enfermeira perguntar qual dos meninos ia primeiro (juntou-se a nós outra criança entretanto) e o peso dos mesmos. Anestesia no nariz (2,5ml de qualquer coisa), um miudo muito grogue mas bem disposto, vem o enfermeiro buscá-lo às 19h30, 5m depois estava despachado. Sim, a operação demora o extensíssimo tempo de 5m.
Entre o recobro, as recomendações de braço ao peito, uma ligadura por 2 semanas, nada de movimentos nem pesos, nem ginástica, marcação de consulta de seguimento e dar alguma coisa de comer a uma criança em jejum por 11H30m, saímos de lá eram umas 21h.
Hoje, fui buscar a declaração em como lá estivemos (os serviços administrativos fecham às 18h e quem está na espera de cirurgia é vidente e sabe tudo), mas só passam depois das 12h porque antes os pacientes estavam nos serviços de origem, que não passam até às 12h porque os pacientes lá não fizeram mais nada a não ser esperar.
Ok, Gabinete do Utente. Livro amarelo. Reclamação. Não pela declaração, mas pelo mau funcionamento da ortopedia, a nível administrativo mas pior ainda nas cirurgias. Sim porque responsável nem vê-lo e 11H30 de jejum numa criança de 5 anos é dose, essa é a verdadeira reclamação.
Ah e a data da consulta estava agendada sem hora, logo era uma consulta extra, e só no Gabinete do Utente é que me marcaram a consulta como deve ser com direito a hora, sem extras.
O meu herói, portou-se tão bem, mas tão bem que surpreendeu toda a gente e nos deixou a nós mais que babados. Perguntou ao médico o que ele andava a fazer que ele estava farto de esperar, o que fez o médico engasgar-se (ora toma que é bem feito!). Sempre bem disposto. Sempre brincalhão e apesar da fome (muita) compreendia que não podia comer e não fez birras. Um Príncipe portanto.
Daqui a duas semanas voltamos para a dita consulta.

terça-feira, 3 de abril de 2012

E o coração cada vez aperta mais

Postado por Nany às 4/03/2012 09:00:00 da manhã 5 comentários Links para esta postagem
Dizem que é hoje, finalmente, que sai o gesso do braço do meu menino.
Que é hoje que tiram aquelas linhas brancas em X no raio-x.
Mas é uma operação, mais uma operação, e eu não posso estar lá para lhe segurar a mão, só o posso levar à porta.
Fico do lado de cá, a tentar não chorar, não irromper por ali a dentro.
Depois é ser forte, muito forte, aguentar o choro de quem acorda de uma anestesia, provavelmente as dores.
Tenho de lhe explicar, e já o vou fazendo, que não pode comer depois das 8h00 da manhã. Que também não pode beber. Que é um menino forte e que vai aguentar porque senão o Dr não consegue tirar o gesso.
Depois é saber a que horas podemos ir para casa, que recomendações trazemos. Será que tem de fazer fisioterapia? Será que ainda trás qualquer protecção? Será, será, será?
Só quero ver isto tudo por trás das costas. Quero o meu menino bem e sem dores. Deiam-mas a mim. Partam-me os 2 braços se tiver de ser. Mas ele não. Eles não.
Rezem por nós.

domingo, 1 de abril de 2012

17 Meses

Postado por Nany às 4/01/2012 10:00:00 da manhã 1 comentários Links para esta postagem
E com 17 meses estás tão crescida. Ainda és bebé como tu mesma dizes, mas já estás a ficar cada vez mais menina e menos bebé.
És uma pinguinha, sabida, safada, atrevida, mimenta, doce e semi-delicada. Sim, semi, que quando te chega a mustarda ao nariz mostras bem o teu feitiozinho.
Andas com mãezite aguda, mas quando te contrario bem que gostas de me arranhar e de furar os tímpanos com os teus gritos estridentes.
Se te contrariam, gritas, arranhas e depois choras muito sentida.
Adoras morangos, de paixão. Comes com satisfação, é mesmo a única fruta que te vejo comer com tanta vontede, são perfeitamente devorados.
Comes praticamente de tudo, mas és esquisita nas frutas: morangos, maçãs e pêras. Bananas nem sempre e as outras nem experimentas. Gostas de te sentar ao nosso colo e comer da nossa comida. Adoras a papa do mano e quase tudo o que ele come.
Adoras pão e pedes sempre, ou porque estamos a comer, ou porque apontas para a lata. Não és muito de bolachas e já te começas a fartas da bela bolachinha maria.
Adoras andar, andar, andar solta. Vais sem medo nenhum e não percebes porquê que não te deixamos subir e descer escadas sozinhas ;)
Estás contipadinha, culpa das alergias e de do teu 8º dentinho.
Dizes mamã, papá, papa, pé, ê mé, bebé. Juntas-lhe agora o caco que pensamos ser rato, mas a verdade é que falas falas mas em saroquês.
Imitas tudo o que o mano faz, especialmente as coisas mais periogosas e gostas muito de brincar com ele, tal como gostas de o arreliar e por a chorar e depois choras por afinidade.
Adoras por-te de pé na secretária pequenina, só para te mandar-mos sentar e é ver-te sorrir com ar malandro.
Dás sempre palmadinhas nas costas quando pegamos em ti ao colo. Pões os bracinhos para cima a pedir colinho e é difícil resistir-te.
Não dás confiança a quem não conheces e choras sempre que vez alguém de bata branca. És atrevida, mas só sorris depois de conheceres a pessoa e de ganhares confiança. Sorris mas rir nem por isso. Guardas o riso para outras alturas.
És a nossa princesa, bonequinha, menina linda, o doce nas e das nossas vidas. Tal como diz o mano, amamos-te Sarinha.
 

O Meu Cantinho Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Emocutez